Seg. à Sex: das 8h às 18h
Sábado das 9h às 13h30

 (11) 2528-4332

Loading...
Tratamentos 2018-08-22T13:01:58+00:00

Clínica Geral

  • Restaurações

  • Aplicação de Flúor

  • Endodontia

  • Bruxismo

  • Cirurgia Oral Menor

  • Selante

Restaurações: A restauração é uma forma de fazer com que o dente afetado pela cárie volte à sua forma e sua função normal. O dentista remove a parte do dente que esta deteriorada, limpa a área atingida e preenche a cavidade com material de restauração, que podem ser porcelana, resina composta (restauração da cor do dente).

Aplicação de Flúor: Processo recomendado para crianças. A aplicação de flúor é uma técnica simples com a aplicação da substância com um pincel próprio e não há risco nenhum de a criança engoli-la. Com a erupção do primeiro dente, já se deve iniciar esse cuidado, pois o flúor ajuda no amadurecimento dental. A aplicação de flúor deve ser repetida a cada seis meses, até os 3 anos de idade.

Endodontia:  Especialidade odontológica popularmente conhecida como Tratamento de Canal, responsável pela prevenção e tratamento das doenças da polpa do dente. A endodontia também atua no tratamento clinicoterápico dos casos de necrose pulpar e suas possíveis consequências, como abscessos, cistos de pequeno e médio porte, dentre outros. O tratamento de canal consiste na remoção da polpa dental, uma estrutura viva que contém, entre outros elementos, nervos e vasos sanguíneos.

Bruxismo:  É um ranger ou um forte apertar dos dentes. O bruxismo pode fazer os dentes ficarem doloridos ou soltos, e, às vezes, partes dos dentes são literalmente desgastados. O bruxismo pode acarretar na destruição do osso circunvizinho e do tecido da gengiva, além de levar a problemas que envolvam a articulação da mandíbula, como síndrome da articulação temporomandibular (ATM).

O uso de um dispositivo personalizado para dormir é um dos tipos de tratamento. O dispositivo encaixa-se sobre os dentes superiores e os protege de se triturarem com os dentes inferiores. Apesar de o dispositivo ser uma boa maneira para lidar com bruxismo, ele não é uma cura. Por isso, cada caso deve ser tratado com exclusividade.

Cirurgia Oral Menor:  Especialidade odontológica responsável pelo tratamento de problemas relacionados aos dentes e ossos da região da face. Trata desde a remoção de dentes inclusos (como o siso), até a realização de enxertos ósseos e posterior colocação de implantes, além de intervenções em alterações patológicas (como tumores), malformações estruturais e traumas dos ossos da face.

Selante:  Aplicação é feita para agir como uma barreira, uma película protetora que, facilitando a limpeza dos restos alimentares e o controle da placa bacteriana, reduz o risco de essas superfícies ficarem cariadas. Os dentes posteriores, os quais usamos para triturar os alimentos, contêm fissuras e fóssulas onde os restos alimentares e a placa bacteriana ficam retidos e se acumulam – onde as cerdas das escovas não conseguem limpar. Dessa forma, o selante protege o dente e diminui o risco de cárie. Recomendado para todas as crianças, e também jovens e adultos que apresentem riscos de cáries. O procedimento leva cerca de poucos minutos para um dente ser selado.

Lentes de Contato

Tem sido muito divulgado o uso de lentes de contato dental para melhorar a estética do sorriso. Essas lentes são próteses de porcelana muito finas, coladas sobre os dentes para corrigir pequenas imperfeições de forma, tamanho ou cor. Há também as facetas de porcelana, que são lentes um pouco mais espessas. As principais indicações para o uso das lentes de contato dentais e das facetas são:

  • Dentes escurecidos ou com manchas

  • Dentes desgastados ou com pequenas fraturas

  • Dentes ligeiramente desalinhados ou com forma irregular

  • Dentes pequenos com muito espaço entre eles.

As contraindicações para uso das lentes são:

  • Dentes com restaurações grandes

  • Dentes muito escurecidos podem não atingir a expectativa de cor escolhida

  • Pessoas que apertam e rangem os dentes.

Quando a lente de contato não está indicada, o dente pode ser recuperado com coroas. Contudo, a indicação de um tratamento ou outro deve ser avaliado pelo dentista, que explicará quais opções são mais adequadas para cada caso.

Vantagens e desvantagens

Pessoas que possuem indicação para usar as lentes de contato dentais devem ponderar os pontos positivos e negativos de sua aplicação. As maiores vantagens do uso das lentes de contato dentais são:

  • São mais resistentes a manchas que as restaurações em resina

  • Podem deixar os dentes com aparência mais clara

  • É um tratamento extremamente conservador, pois necessita de um desgaste mínimo do dente

  • É um tratamento de resultado rápido e duradouro.

Limpeza

A limpeza dentária realizada no consultório odontológico é um processo essencial para manter a saúde bucal em dia. Mesmo com uma escovação correta, uso diário do fio dental e de enxaguantes bucais, nossa boca pode acumular tártaro e placa bacteriana. Por isso é importante que a profilaxia dentária seja feita a cada seis meses. Essa é a melhor forma de evitar problemas bucais.

A limpeza profissional compreende a raspagem do tártaro, além de um polimento da superfície dos dentes para remover manchas e placa bacteriana. Geralmente, o procedimento é indolor.

Mas quem sofre com dentes sensíveis pode ter a necessidade de usar um anestésico tópico antes de começar o tratamento. Entretanto, não precisa ter medo. O processo é muito tranquilo, apesar de ser extremamente necessário para a saúde dos seus dentes. Os benefícios são:

  • Evita o tratamento de canal

  • Regride doenças dentárias

  • Auxilia na manutenção da higiene bucal do dia a dia

  • Diminui a chance de perda dos dentes

Ortodontia

O que é Ortodontia?

É a área da odontologia que estuda o crescimento e desenvolvimento da face, bem como o desenvolvimento das dentições decídua (de leite), mista e permanente e seus desvios de normalidade, prevenindo, interceptando e corrigindo as más oclusões dentárias.

Por que realizar o tratamento?

A função principal do tratamento ortodôntico é restabelecer a oclusão dentária (perfeito engrenamento dos dentes superiores com os inferiores), que é fundamental para a correta mastigação e, consequentemente, a adequada nutrição e saúde bucal. Com o restabelecimento da oclusão, evitam-se problemas relativos à respiração, deglutição, fala e articulação temporomandibular (ATM).
Não existe idade máxima para a realização de tratamento ortodôntico, embora no paciente adulto alguns cuidados especiais devam ser tomados, principalmente em relação aos tecidos de suporte dos dentes, que podem chegar a contraindicar o tratamento (problemas periodontais).

Como será feito o tratamento?

O tratamento ortodôntico, no início, causa certa sensibilidade, principalmente na fase de colocação do aparelho. Posteriormente, é possível existir certo desconforto cerca de 24 a 48 horas após os ajustes praticados pelo ortodontista. O paciente deve seguir todas as instruções dadas, principalmente quanto ao aspecto de higiene bucal, pois os detritos podem causar problemas gengivais, periodontais, manchas brancas ou mesmo cáries dentárias.
Além disso, podem ocorrer pequenas acomodações pós-tratamento, ligadas ao crescimento e às alterações funcionais. Essa tendência é normalmente controlada e minimizada através de um bom planejamento ortodôntico e por profissionais qualificados.

Tipos de Aparelhos

  • Aparelhos fixos:

    São unidos aos dentes através de uma substância adesiva ou cimento; são compostos por bráquetes (metálicos, plásticos ou cerâmicos), tubos e anéis, que suportam o arco metálico responsável pela movimentação dentária. Permitem maior movimentação dos dentes e independem da colaboração do paciente.

  • Aparelhos removíveis:

    São encaixados na boca, podendo ser retirados pelo paciente ou pelo ortodontista, e dependem da colaboração do paciente. Podem ser ortodônticos, os quais realizam pequenas movimentações dentárias; ou ortopédicos, utilizados nas correções de alterações esqueléticas (ósseas).

Próteses

Os registros antigos e até mais atuais indicam que a perda de um ou mais dentes sempre foi motivo de desconforto. Os problemas vão além da estética e podem afetar desde a mastigação até a fala dos indivíduos. De volta ao século 21, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que 50% da população brasileira adulta tem apenas 20 ou menos dentes funcionais, enquanto nos idosos esse índice é ainda maior, apenas 70%. Para essas pessoas, a alternativa é a utilização das próteses dentárias, que se tornaram mais acessíveis, confortáveis e funcionais ao longo do tempo.

Embora seja uma saída bastante frequente, as próteses ainda despertam muita dúvida na população. Como as perdas dentárias são tratadas atualmente? Quais as alternativas disponíveis? Quais as próteses mais indicadas para cada caso? Quem pode fazer? A consulta com um cirurgião-dentista é essencial, pois responderá esses e outros questionamentos individualmente. No entanto, vamos apresentar alguns dos principais aspectos sobre o uso das próteses para você se inteirar.

  • Prótese Total Removível

  • Prótese Parcial Removível

  • Prótese Parcial Fixa

  • Prótese Flexível

  • Prótese Sobre Implantes

Lembre-se: qualquer tipo de tratamento para a colocação de uma prótese dentária deve ser feito sob orientação de um cirurgião-dentista. A avaliação do profissional conseguirá definir qual prótese deverá ser adotada, para que tanto os resultados estéticos quanto os ganhos na saúde bucal sejam efetivos.

Aparelhos Auto Ligáveis

Aparelho autoligado é a tecnologia mais moderna hoje para tratamentos com aparelho fixo. Este tipo de aparelho ortodôntico, elimina a necessidade de utilização das boas e velhas “borrachinhas coloridas”. A função dessas “borrachinhas” é prender o fio do aparelho ao braquete (aquelas pecinhas que são coladas dentem a dente) e o aparelho autoligado não precisa dessas borrachinhas. Os braquetes desse tipo de aparelho são super tecnológicos e cada um deles tem uma portinha que abre e fecha. Então o dentista abre a portinha, coloca o fio lá dentro e fecha a portinha.

A eliminação do uso das borrachinhas diminui consideravelmente o atrito entre o fio e o braquete e dessa forma, o seu dentista poderá utilizar forças leves sobre os dentes e o fio poderá trabalhar mais livremente, obtendo resultados mais eficazes e mais rápidos a cada fio utilizado. Fazendo uma analogia entre esse aparelho e o nosso cotidiano, é como se tentássemos colocar um carro em movimento, tendo o freio de mão puxado. O carro vai andar com o freio de mão puxado, mas o motor vai fazer uma força muito maior, o desempenho dele vai ser menor e o tempo de chegada ao destino, acaba sendo maior. O freio de mão do carro, seria a borrachinha nos aparelhos fixos. Eliminando as borrachinhas, o tratamento é mais rápido, mais eficaz e mais confortável também. Como as forças utilizadas são menores, o paciente sente um desconforto muito menor a cada troca de fio.

autoligavelout16Além disso, esse tipo de aparelho trabalha com fios que não precisam e não devem ser trocados todos os meses. Com isso as visitas aos dentistas são menos frequentes, tendo intervalo de 8 a 10 semanas em vários momentos do tratamento.

Além disto, estas são as principais vantagens do aparelho autoligado em comparação ao aparelho convencional:

  • Agilidade no andamento do tratamento ortodôntico, com redução de 35% do tempo

  • Menor acúmulo de bactérias, já que o aparelho autoligado não utiliza as famosas borrachinhas

  • Mais conforto. Além de todos os benefícios que já falamos, as pecinhas dos braquetes autoligados são menores e mais arredondadas, o que evita machucados e ferimentos na boca

  • Menos idas ao dentista. As manutenções podem ser feitas em prazos maiores que 30 dias, o que gera economia de tempo aos pacientes (principalmente aos que estudam ou trabalham).

Clareamentos

As pesquisas do mercado de beleza são unânimes: o brasileiro é um dos povos mais vaidosos do mundo. No ranking de cirurgias plásticas realizadas anualmente, o país disputa a liderança com os Estados Unidos há alguns anos, segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética. Mais de um milhão de procedimentos desse tipo são realizados anualmente no Brasil. A análise dos dados sobre a venda de cosméticos corrobora a conclusão de que a vaidade é uma das principais preocupações da nossa população. O Brasil é o quarto maior mercado consumidor desse segmento no mundo, de acordo com a Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos.

Tanto apreço pela imagem não poderia deixar de incluir a boca e os dentes. Apesar de não haver ainda pesquisas formais sobre o assunto, os cirurgiões-dentistas evidenciam aumento considerável na procura pelo clareamento dental. Fato é que um sorriso harmônico, com dentes alinhados e brancos, se tornou a meta de muita gente, mudando radicalmente a prioridade anterior, que era restrita à saúde oral.

Vale ressaltar, no entanto, que, por mais simples que pareça o clareamento, o procedimento não é exclusivamente estético e requer muito critério. A orientação de um cirurgião-dentista é imprescindível. Somente um profissional saberá orientar com segurança a concentração ideal do produto, a frequência, a maneira correta de aplicar o gel e o grau de branqueamento possível.

Com a idade, os dentes escurecem e isso ocorre porque o esmalte se desgasta, tornando a dentina (tecido que está por baixo e que determina a coloração dental) mais visível. A dentina vai se tornando mais densa, o que deixa os dentes mais escuros. O consumo constante de açaí, café e outros alimentos e bebidas que possuem em sua composição grandes quantidades de corantes, naturais ou artificiais, interferem na pigmentação, assim como fatores genéticos e má higiene. Além disso, o uso de tabaco e até de alguns medicamentos influencia a tonalidade.

Endodontia

A endodontia é o ramo da Odontologia que trata das lesões e doenças da polpa (nervo) e da raiz do dente. Popularmente, endodontia também é chamada de tratamento de canal. O tratamento consiste na remoção do tecido mole (polpa) que se encontra na parte interna (canal) do dente e pode estar vivo, sadio, inflamado, infectado ou necrosado (morto). Depois de se remover esse tecido, o dentista esteriliza o canal preenchendo-o com obturação em material específico.

O tratamento de canal é feito em várias etapas, realizadas em várias visitas ao dentista, dependendo do caso:

  • Primeiramente, é feita uma abertura na da parte posterior de um dente frontal ou na coroa de um dente posterior, molar ou pré-molar.

  • Em seguida a polpa infeccionada é removida (pulpectomia). O espaço pulpar e os canais são esvaziados, alargados e limados, em preparação para o seu preenchimento. Uma restauração temporária é colocada na abertura da coroa, a fim de proteger o dente no intervalo das visitas.

  • Para finalizar o tratamento, a restauração temporária é removida e a cavidade da polpa e os canais são preenchidos permanentemente. Um material em forma de cone (flexível) é inserido em cada um dos canais e geralmente selado em posição com um cimento apropriado. Uma coroa é geralmente colocada sobre o dente para restaurar seu formato e lhe conferir uma aparência natural. Se o dente estiver fraturado ou muito destruído pode ser necessário colocar um pino cimentado no canal antes da confecção da coroa.

A falta de tratamento endodôntico pode resultar em uma infecção na raiz e nos tecidos vizinhos, além de poder levar a sérias consequências à saúde.

Implantes

O que são implantes?

São cilindros metálicos (titânio), instalados nos ossos maxilares com a finalidade de substituir raízes de dentes ausentes. Além de resolver efetivamente a questão estética, o implante funciona como dentes naturais, tanto na visibilidade como no aspecto mastigatório.

Por que realizar esse tratamento?

Para quem usa pontes móveis parciais, o implante pode ser usado para fazer uma prótese fixa. O implante pode ser utilizado ainda para pacientes que usam dentaduras. Nesse caso, o objetivo é melhorar a estabilidade da prótese. Após a colocação dos implantes, a pessoa pode levar uma vida normal como as que têm dentes naturais. Fora isso, é necessário manter uma boa higienização para não desenvolver doenças ao redor dos implantes. Não existe limite de idade: a partir da puberdade, qualquer pessoa pode receber implantes.

Como será feito o tratamento?

O protocolo de um sistema de implante envolve duas etapas distintas:
A primeira é a cirúrgica, onde é colocado o implante no osso. A segunda é a etapa protética, momento em que é confeccionada uma prótese sobre o implante dentário.

  • Etapa cirúrgica: consiste na instalação dos implantes nos ossos maxilares. É indolor tanto no ato cirúrgico como no pós-operatório. Durante um período necessário de espera (6 meses), teremos a osteointegração (conexão rígida entre o tecido ósseo íntegro vivo e a superfície do implante), onde os implantes permanecem sepultos (dentro do osso) protegidos de cargas ou movimentações.

  • Etapa protética: consiste na elaboração da prótese sobre os implantes. A fixação desta prótese a implantes é feita por meio de parafusos, permitindo assim sua retirada para manutenção, a qual é feita pelo dentista. Este parafuso fica no interior do dente e é recoberto por resina da cor do dente.

Periodontia

Periodontia é uma especialidade da Odontologia que cuida de tudo que fica ao redor dos dentes. Gengivas, osso e ligamento periodontal são as estruturas nobres da Periodontia.

As doenças periodontais geralmente são causadas pelo acúmulo de placa bacteriana. Quando apenas as gengivas são atingidas pelo excesso de placa bacteriana na superfície dos dentes, chamamos a inflamação de Gengivite. Quando o osso que sustenta os dentes começa a ser afetado (vemos isso nas radiografias), chamamos de Periodontite.

Essas duas são as principais doenças e são tratadas com Raspagem Periodontal ou Limpeza – o termo mais comum, utilizado por aí. Além disso, fazemos orientação de higiene oral exclusiva e direcionada para cada pessoa e cuidamos da manutenção do estado de saúde da boca.

A gengivite é sempre reversível, sem danos ou sequelas posteriores. Já a periodontite pode deixar sequelas como perda óssea, retrações, defeitos maiores que prejudicam a estética e a escovação e até causar a perda dental.

Cirurgias

É uma ampla área da odontologia que inclui exodontias (extrações) de raízes, extração de dentes que não podem mais ser aproveitados para o tratamento odontológicodentes do siso (terceiro molares). Com dentistas especializados cirurgia e traumatologia buco maxilo facial, tratamos ainda de intervenções cirúrgicas mais complexas para reabilitação, fazendo uso de enxertos, implantes e próteses, além da correção de deformidades e/ou patologias dos maxilares (cirurgias ortognáticas).

Benefícios:

Ações que possibilitam a remoção de tecidos comprometidos por doença, trauma ou indicação eletiva por estética, com o objetivo de recuperar a saúde e o bem-estar do paciente. Há também técnicas de reposição de tecidos comprometidos, enxertos, sejam eles de tecido gengival ou ósseo, com o objetivo de viabilizar tratamentos reabilitadores.

  • Cirurgia oral menor: Remoção de dentes do siso ou comprometidos, lesões infecciosas (granulomas e cisto), excessos de tecido gengival, excessos de tecido ósseo.

  • Traumatologia: Ações de redução, contenção e estabilização de fraturas nos ossos da face e dentes.

  • Implantodontia: Ação cirúrgica de inserção de pinos de titânio/zircônia para a reposição de raízes dentais perdidas.

  • Enxertia: Procedimentos de reposição e complementação de tecidos ósseos perdidos, através de tecidos do próprio paciente (autógenos) ou de tecidos de outros indivíduos (heterógenos = banco de ossos) ou de outras espécies (alógenos = ossos equinos, porcinos ou bovinos) e ainda os sintéticos (materiais não biológicos = cerâmicas, gesso). No caso de tecido mole, no Brasil, autógenos e sintéticos apenas.

  • Ortognática: Procedimentos cirúrgicos planejados para o reposicionamento da relação maxila-mandíbula.

Riscos por falta de tratamento

Dentes comprometidos e infectados devem ser tratados ou removidos, pois a não observância da infecção pode causar o envolvimento de elementos e tecidos adjacentes ou até o envolvimento de outros órgãos:

  • Lesões infecciosas não tratadas podem levar à perda de elementos dentais;

  • Lesões agudas, com abcesso (formação de coleção purulenta), podem evoluir e drenar na face, com grande comprometimento estético facial. Quando na arcada inferior, mandíbula, há risco de evoluir para o pescoço até atingir estruturas do mediastino, com bacteremia nos tecidos cardíacos (pericardite bacteriana) com risco de morte

  • Fraturas não reduzidas e estabilizadas podem formar uma fibrose ou “soldar” em posição que comprometem a função.

Necessidades Especiais

Há uma grande dificuldade dos profissionais da área da Odontologia para lidar com pacientes portadores de necessidades especiais (PPNE), devido à falta de experiência e conhecimento da disciplina Pacientes Especiais (PE), o que torna mais difícil o convívio e atendimento a esses pacientes, que precisam de muita orientação e ajuda para realização da higiene bucal e manutenção da saúde bucal.

A abordagem odontológica à PPNE requer muito cuidado, paciência, determinação e conhecimento do profissional da área. Cada um desses pacientes deve ser submetido aos tratamentos de maneira correta para assim evitar transtornos no consultório evitando o uso de anestesia geral.

Quando não se obtiver sucesso do tratamento pelo consultório, o tratamento dentário deve ser realizado através da indução anestésica geral, pois – através da anestesia geral – é possível realizar a reabillitação oral total numa única sessão, realizando desde profilaxias a cirurgias. Algumas das necessidades especais:

  • Síndrome de Down

  • Paralisia Cerebral

  • Deficiência Auditiva

  • Deficiência Visual

Pronto para sorrir?

Marque uma consulta

Localização


R. Borges Lagoa, 1083 - São Paulo - SP - CEP 04038-032

Contato

 (11) 2528-4332

 (11) 94288-5644

Atendimento

Segunda à Sexta das 8h às 18h
Sábado das 9h às 13h30